Cuidados para se fazer no reposicionamento de marca

Cuidados para se fazer no reposicionamento de marca

É preciso estar atento a alguns detalhes quando se toma a decisão de mudar uma marca

Todo negócio tem entre seus objetivos fortalecer sua marca e para isso ocorrer, devem ser levados em consideração diversos fatores, inclusive para a empresa que deseja fazer um reposicionamento de marca.

Ricardo Monteiro, gestor de marcas e sócio da DMK Group, consultoria especializada em registro de marcas, patentes e gestão em branding,  um dos aspectos a ser considerado, é se a mudança é necessária, provocada pelo fato de outra empresa já ter a marca registrada.

Se a ideia é apenas modernizar a marca, é preciso entender e estudar o posicionamento atual do negócio com o mercado, se está se comunicando bem, está visível na maior parte do tempo, por exemplo, nas redes sociais.

Segundo Monteiro, mudar de marca é algo que pode ser simples e ao mesmo tempo complexo. Requer muito trabalho, estudo e comunicação com clientes para alertar sobre as mudanças quando muito significativas. “Com o uso cada vez mais constante de dispositivos móveis para comunicação e informação, se você trabalhar forte nas redes sociais, as imagens de perfis são pequenas, então trabalhe com alguma marca curta, sem muitos detalhes e de fácil leitura”, ensina.

O especialista não recomenda o uso de desenhos com muitas linhas, detalhes e informações, especialmente em redes sociais como o Instagram, pois a marca poderá ter problemas de visualização direta no feed , stories e perfil.

Monteiro cita como exemplos de reposicionamento de marca as redes de varejo Ponto Frio, que agora atende apenas como Ponto. Segundo ele, o varejo sempre teve alterações e modernizações de grandes marcas. “Hoje, claro, é mais fácil de acompanhar essas alterações por conta das redes sociais e campanhas com lançamento de novos produtos e serviços. Além da crescente alta do digital no momento da pandemia, as marcas precisam mesmo de fato modernizar-se”, avalia.

Para o sócio da DMK Group, o varejo ainda pode passar por uma transformação profunda, devido ao avanço da participação digital, o que deve obrigar as marcas a se adaptarem ao formato dessas mídias. “Faz-se necessário estar com uma marca moderna, atual e principalmente adequada onde ela é vista a maior parte do tempo”, determina.

Ainda de acordo com Monteiro, a pandemia da Covid-19 ajudou as marcas a ficarem mais próximas do consumidor, inclusive por necessidade. “Muitas tiveram que adaptar seus produtos e serviços para o mercado digital e aprenderam a atender digitalmente”, finaliza.

Posts relacionados
Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *